17 Dec, 2017
icon facebooklogo linkinlogo flickrlogo youtube

fundacao lucinda

Jardim Infantil Pestalozzi

A CRIANÇA SERÁ O QUE DELA FIZEREM O SEU GRUPO E A SOCIEDADE
EDUCAR É DAR-SE COMO MODELO
CRIANÇAS CAPAZES DE INTERVIR E MODIFICAR
UMA ESCOLA PARA A INDEPENDÊNCIA E PARA A RESPONSABILIDADE
UMA ESCOLA PARA A INDEPENDÊNCIA E PARA A RESPONSABILIDADE
banner6
A CRIANÇA SERÁ O QUE DELA FIZEREM O SEU GRUPO E A SOCIEDADE
 

PROJETO CURRICULAR DE ESCOLA

“Gotinha d’Água”

Ano letivo 2013 – 2014

 

INTRODUÇÃO

O Projecto Curricular do Jardim Infantil Pestalozzi (JIP) intitulado “Gotinha d’Água” surgiu com o objetivo de melhorar a eficácia da Escola na resposta a algumas necessidades identificadas pela equipa dos professores e educadores.

A nossa aposta é de ordem pedagógica, educativa e institucional e tem como finalidade estabelecer uma estreita relação entre as competências e metas curriculares, superiormente definidos, a situação educativa de ensino aprendizagem dos nossos alunos, bem como definir estratégias que nos pareçam ser as mais adequadas para a obtenção desses objetivos, tendo em conta a realidade da Escola.

Através do presente projeto procuramos ainda atingir as grandes finalidades educativas subjacentes aos Princípios Orientadores e Objetivos Gerais do Projeto Educativo.

IDENTIFICAÇAO DA TEMÁTICA

Da reflexão sobre as características da sociedade e dos interesses das crianças realçaram-se alguns aspetos que se poderiam desenvolver tendo em vista um crescimento humanizado e mais ecológico, tais como:

  • Uma abordagem consciente do tema da água e sua importância;
  • A “Água” como um bem esgotável;
  • A “Água”como estímulo aos nossos sentidos e fonte de inspiração nas artes, nas letras, na fotografia, na música…
  • Sensibilização para a importância da água para os seres vivos e para a continuação da vida na Terra;
  • Consciencialização para a educação ambiental;
  • Proteção, preservação e recuperação da água como bem essencial;
  • A “Água” e os cursos de água como caminhos que nos ajudaram a descobrir países, culturas, povos;
  • A “Água” e a paisagem – sua capacidade de transmitir serenidade e tranquilidade;
  • A “Água” na Terra - único planeta do sistema solar que possui água no estado líquido;
  • A “Água” fonte de energia;
  • As civilizações antigas e sua ligação aos rios e mares.

PRINCÍPIOS ORIENTADORES

Os princípios orientadores deste projeto estão consignados no Projecto Educativo e fundamentam-se essencialmente na consciencialização e atuação adequadas às novas exigências colocadas:

  • Utilização de novas tecnologias e fontes de informação;
  • Cooperação estreita entre escola e família;
  • Promoção do sucesso educativo;
  • Desenvolvimento da educação cívica;
  • Utilização de práticas educativas adequadas;
  • Formação de professores centrada nesta realidade;
  • Envolvimento de todos os intervenientes no processo educativo.

OBJETIVOS

Tendo como referência a análise do contexto em que se desenvolve a acção educativa, o presente Projecto Curricular pretende definir e concretizar um conjunto de objetivos a alcançar:

  • Conhecer a distribuição da água no planeta Terra;
  • Conhecer o ciclo da água;
  • Conhecer a água nos seus diversos estados;
  • Identificar atitudes de poupança de água;
  • Reconhecer a água como fonte de energia hidráulica;
  • Saber a importância da água na indústria, na higiene, na alimentação
  • Reconhecer situações em que a água pode ser prejudicial – inundações, derrocadas,…
  • Explorar o tratamento de águas residuais;
  • Distinguir água potável e não potável;
  • Produzir textos escritos com intenções comunicativas diversificadas;
  • Promover a divulgação de escritos (jornal escolar, caderno de textos, leitura conjunta de produções de grupo ou individuais…);
  • Utilizar diferentes recursos expressivos com uma determinada intenção comunicativa (dramatizações, declamações, imitações, notícias, poesias…)
  • Recolher notícias dos vários jornais ou revistas sobre o tema;
  • Criar e imaginar histórias;
  • Desenvolver a capacidade de expressão escrita e criativa sobre o tema;
  • Seleccionar textos que correspondam a temas a estudar;
  • Desenvolver projetos criativos numa perspetiva interdisciplinar.

ESTRATÉGIAS

Para dar cumprimento aos objetivos anteriormente definidos são propostas as seguintes estratégias:

  • Participação dos alunos, professores, educadores e pessoal não docente;
  • Promoção da exploração ativa e autónoma por parte dos alunos;
  • Promoção da integração curricular;
  • Recurso a atividades lúdicas;
  • Reuniões de turma e inter-turmas para discussão e análise de problemas que surjam e que suscitem o interesse dos alunos;
  • Apresentação de trabalhos inter-turmas com vista à apreensão de um sentido social das aprendizagens;
  • Convite à participação dos pais/encarregados de educação/outros familiares nas atividades decorrentes da efetivação do Projecto Curricular de Escola
  • Realização de atividades de âmbito curricular que fomentem a investigação, o desejo de aprender, a curiosidade e a descoberta utilizando os recursos informáticos, audiovisuais, documentais e outros existentes no JIP e na comunidade;
  • Elaboração do plano de actividades onde constem os projetos a realizar nas turmas do 1.º ciclo e nos grupos da infantil.

ATIVIDADES

São os meios através dos quais podemos atingir os objetivos definidos anteriormente:

  • Audição de músicas de várias composições relativas ao tema;
  • Criação de sons e instrumentos com água;
  • Descoberta de diferentes sons – uma gota, o mar agitado ou calmo, a chuva;
  • Associação de ritmos e tempos a movimento de águas;
  • Aprendizagem de canções, rimas, jograis com letras relacionadas com a água;
  • Construção de jogos educativos, de canções, poesias;
  • Elaboração de teatros de fantoches;
  • Visitas temáticas – Aqueduto, barragem,…
  • Construção de um medidor de pluviosidade;
  • Experiências com a água;
  • Construção de um “livro” com os materiais criados pelos meninos, sobre a temática;
  • Pesquisa sobre a história das organizações ambientais; 
  • Entrevistas a pessoas ligadas a instituições cujos objectivos são a defesa e preservação do meio ambiente   

 

AVALIAÇÃO

A avaliação do projeto deve ser feita em diferentes momentos e sob diferentes formas.

Na avaliação pretendemos apreciar o desvio entre os objetivos previamente definidos e a sua operacionalização em cada subprojeto e as competências adquiridas pelos alunos.

Consideramos dois tipos de subprojetos, os que se realizam pontualmente (festas, jornal da escola…) e os que vão decorrendo, ao longo do ano letivo no âmbito do Projecto Curricular de Turma e da Área de Projecto.

A avaliação pode ser pontual, isto é, feita no momento após a realização das atividades, pelo professor ou educador responsável com os seus alunos.

Outro tipo de avaliação é feito a nível de escola, nos conselhos pedagógicos e nas reuniões de coordenação.

Como instrumentos de avaliação pode-se referir, entre outros:

- grau de participação dos alunos e professores

- inquérito feito aos alunos

- grau de adesão e empenho nos comentários, nas tarefas,…

- nível de concretização de trabalhos apresentados

- observação direta dos alunos no decorrer das atividades (com preenchimento de grelhas de avaliação por aluno, ou pelo professor ou educador responsável).

As reflexões sobre os resultados são registadas pelo professor ou educador.

A avaliação do PCE será realizado ao longo do ano letivo, nas reuniões de coordenação quer da infantil quer do 1.º ciclo, nas reuniões de avaliação trimestral, nas quais se fará um balanço das atividades desenvolvidas. No final do ano letivo far-se-á um balanço global do projeto para perspetivar a organização e as linhas estratégicas a adotar no ano letivo seguinte.

Projecto Curricular de Escola


ANO LETIVO 2012/2013

 

 

Brincar, Jogar, Cantar, Contar – Da Tradição à Invenção

 

O brinquedo

Foi um sonho que eu tive

Era uma grande estrela de papel,

Um cordel

E um menino de bibe.

 

O menino tinha lançado a estrela

Com ar de quem semeia uma ilusão;

E a estrela ia subindo, azul e amarela,

Presa pelo cordel à sua mão.

 

Mas tão alto subiu

Que deixou de ser estrela de papel,

E o menino ao vê-la assim, sorriu

E cortou-lhe o cordel.

Miguel Torga (Diário, vol.II)

 

 

Fundamentação

 

O corpo docente nos encontros e reuniões vem refletindo sobre as caraterísticas da sociedade presente identificando aspetos pouco gratificantes para um crescimento saudável e respeitador da criança, tais como:

  • §Uma educação vocacionada para uma sociedade altamente competitiva onde as pessoas têm pouco espaço para desfrutarem momentos reservados à criatividade, ao tempo de brincar, de pensar, de imaginar, de sonhar e fazer sonhar
  • §A ocupação pouco equilibrada dos poucos tempos livres e que são, muitas vezes, dedicados a jogos em que predominam as novas tecnologias de informação

Assim, parece-nos pois importante refletir com a comunidade escolar o valor que damos ao brincar como um direito intrínseco ao crescimento da criança, assim como o jogar, o cantar, o contar, o imaginar.

 

Objetivos

  • §Proporcionar momentos de pesquisa, dar a conhecer a evolução dos brinquedos e das brincadeiras ao longo dos tempos
  • §Incentivar a prática de jogos tradicionais em contraponto com os jogos de computador, consolas, televisão, facebook….
  • §Revitalizar a construção de jogos tradicionais recorrendo a materiais de desgaste e recicláveis
  • §Aprender e cumprir as regras do jogo/brincadeira
  • §Construir brinquedos, máscaras, adereços, fantoches, instrumentos musicais
  • §Estimular hábitos saudáveis de brincar
  • §Levar os alunos a criar, recriar, contar e recontar histórias, lendas, contos, …
  • §Encontrar momentos e espaços em que os meninos possam fruir obras da tradição oral
  • §Enquadrar a nossa ação em atividades de caráter lúdico em que o jogo constitua uma forma de aprender
  • §Reforçar a herança do imaginário
  • §Relembrar jogos musicais tradicionais e infantis e explorar a criatividade
  • §Levar os alunos a conhecer a música, instrumentos musicais, canções ritmadas ou danças de Portugal e do mundo
  • §Contribuir para que situações de improviso sejam aproveitadas para recriar cenas da vida quotidiana. Dramatizar situações vividas ou imaginadas
  • §Investigar medidas de capacidade e massa utilizadas no tempo dos avós
  • §Recolher rimas, adivinhas, lenga-lengas que envolvam conceitos matemáticos
  • §Desenvolver projetos interdisciplinares
  • §Aproximar gerações – estreitar relações interpessoais da escola com os pais, avós, família, comunidade.

 

OUTROS PROJETOS

Além de projetos que se iniciaram no ano letivo anterior e que continuam este ano como: a dinamização da biblioteca,  a poesia na escola, as TIC e comunicar com arte, desenvolvemos, durante o 1º período, o projeto das  marionetas que foi orientado por uma mãe que está a fazer um mestrado sobre este tema na Universidade de Évora. Participaram as crianças do 3º ano e a sua professora. Este projeto teve também a participação dos pais e foi apresentado a toda a escola. Na comemoração do  dia do Pestalozzi que se fez na escola e posteriormente no anfiteatro da Faculdade de Psicologia/ Instituto de Educação foi também apresentado o teatro de marionetes além de um momento musical com todos os alunos e da apresentação pública do site. A Fundação Lucinda Atalaya e a escola desenvolveram todos os esforços para termos a presença do maior número de familiares e amigos e de ex- alunos que compareceram em grande número. A ex-aluna Marta Hugon, cantora de jazz cantou, acompanhada pelo músico Mário Delgado, para todos os presentes, tendo-nos oferecido a sua qualidade artística e o seu afeto. Neste dia, no átrio da faculdade esteve uma exposição comemorativa do dia do Pestalozzi e a exposição sobre todo o desenvolvimento do projeto das marionetes. 

 

 


ANO LETIVO 2011/2012

"A NOSSA ESCOLA E A VIDA À SUA VOLTA"

O Projeto Curricular que envolve toda a escola e que se deve articular com os projetos individuais e de sala tem este ano letivo como tema: " A nossa escola e a vida à sua volta ". Sempre foi prática no Jardim Infantil Pestalozzi levar os meninos à descoberta do meio envolvente mas este ano estamos a dedicar especial atenção às instituições e espaços da nossa zona para estimular a criação de uma rede que una a comunidade envolvente para partilha de saberes, experiências e iniciativas.

"Todos vamos ter que ser professores de todos, e cada um dos que sabem um pouco mais, ensinará os que sabem um pouco menos, (...) no entendimento do mundo" disse Agostinho da Silva.

E recordando João dos Santos, "A escola só é democratizante quando integra e simultaneamente influencia a cultura local, regional e nacional". Citamos aqui mestres da vida que sempre valorizaram o que aprenderam com as crianças. É por isso que queremos criar e descobrir situações de partilha entre os meninos e os adultos de instituições como a Torre do Tombo, o Museu da Cidade, o Museu Rafael Bordalo Pinheiro, o Instituto de Educação, a Faculdade de Ciências, a Faculdade de Psicologia, os jardins, as lojas, ...


Menino:
queres ser meu mestre ?
- Contigo, tinha tanto que aprender ! ( ... )
Menino, que brincas no jardim:
- Tu, sim, podias ser um mestre para mim!

De " Canção inocente ", de Carlos Queiroz


Projectos de sala

Os projetos de sala nascem no grupo e são definidos e reconhecidos por este. Respondem às suas necessidades e interesses e são, como o projeto curricular de escola , muito importantes para o desenvolvimento do trabalho de pesquisa, de planeamento, de colaboração e de partilha. Estes projetos estabelecem uma estreita relação entre os objetivos e competências curriculares, os interesses dos alunos e a realidade da escola.

Os projetos criam uma dinâmica e uma prática de inovação e de criação e desenvolvem as capacidades de expressão e de comunicação.

 

Outros projectos

Este ano letivo nasceram e estão a decorrer vários projetos que sucintamente aqui apresentamos:

1 – Dinamização da Biblioteca tendo como principal objetivo investir no desenvolvimento de boas práticas de leitura conducente à formação de bons leitores. Constará da catalogação de todos os livros em modo informático, do enriquecimento do fundo documental, da promoção de mais períodos de "a hora do conto", da realização de exposições acerca de autores ( escritores e ilustradores ), da organização de temporadas dedicadas a diferentes áreas temáticas ( literatura, arte, ciência, etc. ) ...

2 – " Poesia na Escola" : como disse Lucinda Atalaya " ( ...) que as palavras não percam a sua força como vias de revelação e de mistério, de sonho e de realização para que ler e escrever se enlace com o prazer de compreender, de comunicar, de imaginar. " Na escola, a poesia dita, lida, escrita, recitada é veículo de excelência para facilitar a perceção do som na palavra, a consciência estética da frase e do texto. Este ano com a preciosa colaboração de Miguel Seabra as crianças têm mensalmente um momento especial para ouvir poesia dita por um ator.

3 – " Comunicar com arte ": os aspetos estéticos devem impregnar toda a escola e toda a atividade escolar e a obra criada pela criança é importante para ela própria e para a comunidade. Este ano quer no natal quer no decorrer de todo o tempo letivo vamos utilizar trabalhos coletivos pintados, desenhados, escritos para não só dar a conhecer as nossas práticas como também para comunicar e cumprimentar pais, avós, amigos e instituições que nos rodeiam ou com quem mantemos relações de partilha.

4 – " Uma horta, um jardim ": em algumas salas surgiu o interesse por questões relacionadas com o cultivo da terra e a evolução da semente à planta. Assim têm estado em desenvolvimento projetos que abordam as diferentes fases do ciclo de vida das plantas, desde a sementeira à colheita, passando pela germinação, plantação e manutenção da horta e do jardim. Aproximar as crianças da natureza a partir do contacto com a terra, com os organismos do solo e com as plantas é o que estamos a vivenciar com este projeto assim como a incentivar relações de interajuda e a desenvolver as capacidades de pesquisa.

5 – As TIC no 3º e 4º ano assenta na metodologia de projeto. O computador é o potenciador na investigação, registo e divulgação numa dinâmica integradora da globalidade dos conteúdos curriculares. Os alunos aprendem a usar as ferramentas informáticas à medida que são necessárias na realização dos projetos, dando sentido à aprendizagem. As TIC desenvolvem competências sociocognitivas indispensáveis para a aprendizagem ao longo da vida.

Projetos - 3º ano – O meu primeiro livro digital; Viagem a Castelo Branco; Filme das atividades da escola. - 4º ano – Segurança na Internet; Uma escola diferente; Criar um blog dos alunos.

Partilhar este conteudo...

Agenda

No Mês passado Dezembro 2017 No Mês próximo
2a 3a 4a 5a 6a S D
week 48 1 2 3
week 49 4 5 6 7 8 9 10
week 50 11 12 13 14 15 16 17
week 51 18 19 20 21 22 23 24
week 52 25 26 27 28 29 30 31

Contacte-nos

E-mail 
Assunto 
Nome 
Mensagem 
  Envio de cópia
    

Inscrições abertas

A partir de 4-01-2017
Jardim Infantil + 1º Ciclo do Ensino Básico
Informe-se aqui