17 Dec, 2017
icon facebooklogo linkinlogo flickrlogo youtube

fundacao lucinda

Jardim Infantil Pestalozzi

A CRIANÇA SERÁ O QUE DELA FIZEREM O SEU GRUPO E A SOCIEDADE
EDUCAR É DAR-SE COMO MODELO
CRIANÇAS CAPAZES DE INTERVIR E MODIFICAR
UMA ESCOLA PARA A INDEPENDÊNCIA E PARA A RESPONSABILIDADE
UMA ESCOLA PARA A INDEPENDÊNCIA E PARA A RESPONSABILIDADE
banner6
A CRIANÇA SERÁ O QUE DELA FIZEREM O SEU GRUPO E A SOCIEDADE
 

 

Formação contínua


O Conselho de Administração da FLA e a Direção da escola defendem uma formação contínua de toda a equipa baseada na discussão, reflexão e avaliação do trabalho. Para isso, realizam-se, regularmente, reuniões de caráter pedagógico, psicopedagógico e organizativo.

Procuramos ainda uma constante inovação através de ações de formação que permitam o enriquecimento de todos, com vista à prossecução do nosso projeto educativo.


 

"A brincar com a luz, criei uma história" e "Actividades artísticas e educativas enraizadas no corpo" a 19 de dezembro de 2014, destinada a toda a equipa do J.I.P.

"A brincar com a luz, criei uma história" com Alexandra Baudouin investiga e desenvolve trabalho na área da educação artística, investigação dos processos criativos e sua implicação no desenvolvimento individual de crianças, jovens e adultos. Criação e implementação de oficinas de educação artística em espaço formal e não-formal.

"Estas oficinas de educação artística irão incidir na observação prática de exercícios para estimular a criatividade, trabalhando a partir da imaginação.

Observar como a projeção da luz por processos mecânicos (retroprojetor e o projetor de diapositivos) altera materiais que tão bem conhecemos. Demonstrar como funciona e de que forma pode a luz alterar a matéria na sua exploração plurisensorial.

Exercícios entre a mancha e o traço. Aprofundar os conhecimentos sobre transparências de materiais que se conhecem do dia-a-dia (tais como: arroz, sal, penas, fios têxteis, etc) num processo de investigação para reconstruir algo novo e imprevisível. Como podemos utilizar as imagens construídas? Podemos construir histórias com elas. No final é possível criar um percurso visual onde todos participaram e que conta uma história coletiva ilustrada numa grande folha de papel.

Um plano de trabalho associado à divergência pela investigação de materiais e mecanismos de ação variados. Uma metodologia que promove competências variadas a partir da experimentação plástica e encaminha os participantes para uma reflexão crítica e generosa pela compreensão que cada contribuição individual é um elo importante no trabalho coletivo."

 

"Actividades artísticas e educativas enraizadas no corpo" sob orientação de Rita Roberto.

"Esta acção de formação consiste num trabalho de movimento e expressão corporal, numa abordagem prática e

reflectiva, que visa a aquisição de ferramentas pedagógicas e criativas para o desenvolvimento de actividades

educativas enraizadas no corpo, destinadas a públicos e contextos vários.

Os conteúdos da formação serão trabalhados essencialmente com exercícios e jogos de movimento, intercalados

com momentos de reflexão conjunta e exposição de algumas referências que acompanhem as acções em curso. No

final da formação, os participantes serão desafiados a delinear uma actividade educativa para um grupo e contexto

determinados, tomando o corpo como veículo de comunicação e lugar de criação, com base nos tópicos explorados."

OBJECTIVOS

- Compreender o corpo como campo de criação e campo de relação, como ponto de partida para a concepção de

actividades na área das expressões e mais especificamente do movimento (para público jovem e adulto);

- Promover o desenvolvimento de um corpo atento e plural (cooperativo), e entender a sua importância no contexto

educativo e artístico;

- Incentivar uma abordagem sensitiva de cada objecto de estudo;

- Assimilar a importância do prazer da transmissão, procurando um envolvimento substancial com cada temática de

trabalho.


REFLECTINDO SOBRE TEXTO LIVRE

Encontro/ Formação com Prof. Ana Ayres - outubro de 2014

1)Contexto.

O texto deve ser perspectivado como mais um meio de expressão/comunicação (conjuntamente com o desenho, pintura, barro, brincadeira livre, conversas...)

Implica a familiarização das crianças com textos e a sua leitura pelo adulto (livros, poesias, receitas, publicidade – ilustração e texto escrito, criar narrativas a partir de ilustrações e, crescentemente, com as suas finalidades: (criar uma memória de grupo e/ou individual, comunicar – mandar recados por escrito que se escrevem com conhecimento da criança, convites).

O texto tem que poder fazer parte das escolhas e experiências quotidianas da criança. Não pode aparecer como uma situação ocasional ou extraordinária.

2)Como Lançar.

Um ambiente rico em livros e ilustrações com texto (Por exemplo, um cartaz com a poesia sobre o sol ilustrado pelas crianças – com desenhos, colagens)

Valorizar a oralidade das crianças e... aproveitar a sugestão de uma criança sobre um assunto (registar para comunicar aos outros meninos), colocar um problema e registar as hipóteses de solução colocadas pelas várias crianças. Uma noticia «importante» (as noticias importantes devem ser exploradas com atenção e respeito! Por exemplo, «a minha gata teve gatinhos», quantos? Como é que eles são? O que comem? Desta noticia nascerá um projecto sobre gatos? sobre animais domésticos? sobre mamíferos? Será o que as crianças desejarem e o educador «alimenta»?

Novas experiências suscitam formas de expressão diferenciadas que não se excluem. Fazer bolachas implica registar a receita e ilustra-la (com desenhos, colagens, fotografias legendadas,) começar a construir um livro de receitas.

A exploração de novos materiais e documentação (sempre suportada pelas questões e sugestões que o educador vai colocando) facilita o desejo de comunicar de uma forma compreensível pelos outros, de cooperar, de interagir e integrar outros nessa exploração.

É preciso pensar que espaço se vai destinar á produção de textos – Biblioteca, mesas e como se vão ordenar, expor (se for essa a decisão da criança ou 3 crianças porque pode haver textos produzidos a várias mãos.) e tempo (como qualquer outra forma de expressão/comunicação deve estar acessível ás crianças).

3)Como dar continuidade e manter o interesse das crianças.

Ler o que se escreveu, retomar textos para recordar vivências, experimentar diferentes técnicas de ilustração, descobrir de quem são os textos. Descobrir a diferença entre letras (script maiúsculas, script minúsculas, manuscrito maiúsculas, minúsculas), reconhecer palavras e ter caixinhas com palavras que permitam às crianças brincar com as palavras, familiarizar-se, construir pequenas frases. (dar tempo ao processo de substituição do objecto pela palavra)

Manter o ritmo de produção de textos. Não deixar passar meses sem fazer texto, Ler às crianças livros com vários tipos de letras.

Iniciar projectos em que a escrita seja um elemento fundamental – correspondência escolar (o computador é precioso mas não substitui os correios se se precisar de enviar encomendas), livro de vida ou um jornal.

Criar etapas para a passagem da letra de imprensa maiúscula para a minúscula e para o manuscrito (4 /5 anos ) – uma actividade facilitadora pode ser a elaboração do bi que implica assinar.

 

Sociodrama, Intervenção, Educação

Jardim Infantil Pestallozzi - 18 de outubro 2014

Sessão de formação para a equipa educativa do J.I.P., nas suas múltiplas dimensões e com a sua diversidade de atores.

Ojetivo:

A partir do legado de Lucinda e da história do J.I.P., tendo em consideração as interpretações individuais de cada um sobre estes dois aspetos, com esta formação pretende-se contribuir para uma construção conjunta do futuro – o "meu", o "teu", o "nosso"; identificando o "meu" contributo (o contributo de cada um), em estreita articulação com o "nosso" contributo (o contributo do grupo, do coletivo) para esta construção comum;

Metodologias: Serão utilizadas metodologias que se fundamentam no sociodrama (Jacob Levy Moreno): metodologias também designadas por "metodologias ativas", através das quais se mobiliza a expressividade do corpo, procurando ir para além das palavras, da linearidade dos discursos verbais, atendendo às diversas dimensões do ser humano (emocional, intuitiva, cognitiva, sentimental), favorecendo a criatividade e a espontaneidade.

Destinatários: Equipa Pedagógica do J.I.P.

Questões a trabalhar:

a. Jogos de aquecimento;

b. O que é educar – hoje?

c. O legado de Lucinda Atalaia e a história do J.I.P. e as questões prementes da atualidade;

d. O(s) meu(s) contributo(s) para esta construção coletiva – qual é? quais são? ... e este ano?

e. Momento de partilha, reflexão e avaliação.

 

Dinamizadora: Margarida Belchior

Doutora em Educação


ESTÁGIOS

 

No ano letivo de 2015/2016, recebemos estagiários da Escola Superior de Educação, da Magestil e da Faculdade de Psicologia e Instituto de Educação.

No ano letivo 2014/2015 tivemos, em setembro, uma estagiária da Escola Superior de Educação João de Deus e uma estágiária pelo programa Erasmus da Faculdade de Educação em Espanha.

Entre março e maio de 2015, recebemos duas estagiárias numa sala do 1.º ciclo e outras duas estagiárias integradas numa sala do pré-escolar, vindas da Escola Superior de Educação de Lisboa.

Em abril de 2015, recebemos uma estagiária Auxiliar de Ação Educativa.

Em Janeiro de 2014/2015, iniciou o seu estágio uma  estudante de Erasmus do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. 

No ano letivo de 2013/2014 tivemos a estagiar na escola dois estudantes Erasmus do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa e uma artista plástica encaminhada pela Clínica do Parque. Tivémos ainda connosco uma estagiária da Escola Superior João de Deus e quatro estagiárias da Escola Superior de Educação de Lisboa.

PLANO DE AÇÃO PARA A SEGURANÇA INFANTIL (PASI)

Está a decorrer na escola até meados de fevereiro uma formação sobre o tema segurança infantil para toda a equipa docente sob orientação da mãe de um aluno, enfermeira do Hospital de Dona Estefânia. 

De acordo com a European Child Safety Alliance (ESCA, RC, 2009), Portugal precisa de trabalhar para garantir que cada criança que nasce, tem um ambiente seguro para viver, aprender, crescer e brincar de forma a tornar-se um adulto que possa contribuir positivamente para a sociedade.

Para tal é necessário constituir uma estrutura operacional de base que apoie o planeamento estratégico e a implementação de medidas na área de segurança infantil. 


PARTICIPAÇÃO NA CONFERÊNCIA JOÃO DOS SANTOS NO SÉCULO XXI - setembro de 2013

 

ORGANIZAÇÃO DA SESSÃO JOÃO DOS SANTOS VOCAÇÃO PARA AMAR - REFLEXÃO, (RE)ENCONTROS E AFECTOS EM SAÚDE MENTAL INFANTIL  - fevereiro de 2013


A LEITURA: MUDANÇA E SUCESSO EDUCATIVO NO SÉCULO XXI

– 9, 10 e 11 de Julho de 2012 – Frequentada prof. Leonor Braga   

e educ. Carina Santa Bárbara

- O conhecimento da ortografia revoluciona a função cerebral

- Literacia Multicultural – Leitura, cidadania e Património

- Crescer a ler textos e imagens

- A leitura na era digital

- Literacia básica. A avaliação do desempenho da leitura.

- Leitura e cidadania. Ler os caminhos para a cidade futura

 

FORMAÇÃO DE MATEMÁTICA

Relizámos no colégio, antes do início deste ano letivo, uma Formação de Matemática para educadores e professores do 1º ciclo que foi orientado pela professora Ana Paula Catela. Esta formação abrangeu os seguintes temas que, em síntese apresentamos:     

  1. 1.Temas Matemáticos
  • Números e Operações:

          - sentido de número e rotinas de sala de aula

          - estratégias de cálculo mental

          - sentido das operações

  • Pensamento algébrico:

          - padrões e regularidades

  • Geometria e Medida:

         - Figuras no plano e sólidos (propriedades e classificação e transformações geométricas)

  • Organização e Tratamento de Dados:

          - Representação e interpretação de dados (diagramas de Venn, Carroll e situações aleatórias)

  1. 2.Capacidades Transversais 
  • Resolução de problemas;
  • Raciocínio;
  • Comunicação matemática
  1. 3.Do ponto de vista curricular:
  • Analisar e interpretar o programa de Matemática enquadrando as propostas trabalhadas (planificação numa visão integrada das várias componentes curriculares).
  1. 4.Do ponto de vista didático:
  • Trabalho com materiais que promovam a abordagem de diferentes tópicos matemáticos                   

 

 

AULA ABERTA na FACULDADE DE PSICOLOGIA

 A convite da Profª. Dulce Gonçalves estivemos presentes na Aula aberta com o tema “ Novas metas ou novas dificuldades ?” que se realizou no dia  24 de Outubro de 2012 (19h-21h) no anfiteatro da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa.

 

FORMAÇÃO " Alimentação depois do 1º ano de Vida. Alimentação em idade escolar. Boas práticas.

leonorLevy2

Nov/2012 com a pediatra Prof. Dra. Leonor Levy para professores, educadores e auxiliares

 

 

PRIMEIRO SEMINÁRIO IDEA EM LISBOA - NEE: PARA UMA NOVA ERA NA EDUCAÇÃO

No dia 21 de Dezembro de 2012 participámos no PRIMEIRO SEMINÁRIO IDEA EM LISBOA - NEE: PARA UMA NOVA ERA NA EDUCAÇÃO que se ralizou na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa.

 

 

Durante este ano letivo temos estágios a decorrer na escola: do Instituto de Educação,  da Escola Superior de Educação de Lisboa e da Escola Profissional Magestic.


Partilhar este conteudo...

Agenda

No Mês passado Dezembro 2017 No Mês próximo
2a 3a 4a 5a 6a S D
week 48 1 2 3
week 49 4 5 6 7 8 9 10
week 50 11 12 13 14 15 16 17
week 51 18 19 20 21 22 23 24
week 52 25 26 27 28 29 30 31

Contacte-nos

E-mail 
Assunto 
Nome 
Mensagem 
  Envio de cópia
    

Inscrições abertas

A partir de 4-01-2017
Jardim Infantil + 1º Ciclo do Ensino Básico
Informe-se aqui